terça-feira, 30 de dezembro de 2008

FELIZ ANO NOVO

E lá se foram oito anos do novo milênio...
Sempre existe uma esperança, muitas são as promessas, mas o que vale mesmo é uma reflexão daquilo que se houve certo ou do que deu errado. Buscar corrigir, acertar, ousar mais, dar valor às pequenas coisas, ao comum, que por diversas vezes está bem pertinho de nós e ninguém nota, tão pouco vê.
O que se realiza num ano deve ser razão para a continuidade no próximo ano que sempre chega de mansinho, nos longos dias de verão aqui no hemisfério sul.
Há sempre uma atmosfera festiva e novos desejos de realizar sonhos que deixamos pra trás.
Que esse novo ano seja uma continuidade do que nos deixa com a certeza de que dias melhores vão ser parte de nossas vidas, navegando na onda do otimismo, do pensamento positivo e da boa energia.
Antes de qualquer matéria de hoje desejo um feliz ano novo a todos que junto comigo ajudaram na construção desse sonho maravilhoso que teve seu começo nesse ano que fica pra trás, mas que crescerá forte nessa nova caminhada que recém se inicia.
Aos que apenas lêem, aos que avaliaram esse trabalho, aos que somente por uma vez passaram por aqui, um muito obrigado do fundo do coração, aos que estiveram ao lado, participando, compreendendo, sustentando a barra eu deixo registrado os vários momentos de alegria que se uniu a todo esse esforço.
Como mensagem de fim de ano, queria compartilhar com todos vocês um pouco da minha esperança, porque ter esperança é ter sabedoria para entender que nada se ergue em dias ou poucos meses, porque o pouco que se alcança hoje é muito do fruto que se colhe lá na frente, e assim eu vivo e divido com todos essa magia do significado de cada segundo da vida.
Em 2009 temos muitos encontros marcados.

HOJE NO BOUND BRAZIL

Dois sets de fotos com Monique (AKA Scarlet) e Becky para saborear nessa passagem de ano.
Sexta estamos de volta para falar das fotos e do vídeo da semana: Visita Ilustre (A Revanche). Imperdível essa segunda parte.

AS CINCO MAIS

Cheguei a mencionar aqui sobre o rastreio de páginas que o “Histats” possibilita o que nos deixa em condições de relacionar aqui as modelos mais acessadas pelos membros do Bound Brazil.
É uma questão de estatística.
Mas trago esse critério aqui para o blog e coloco a disposição de todos as cinco modelos mais acessadas no site.
A ordem de apresentação não coincide com a quantidade de acessos, vale, porém, o set mais procurado pelos assinantes, uma vez que várias delas possuem mais de um set de fotos na zona restrita aos membros do Bound Brazil.
Para votar é simples: basta observar a nova enquete no canto esquerdo aqui da página e marcar a sua favorita, mas se ainda preferir justificar seu voto, poderá fazê-lo através de comentário nessa matéria.

Monique (AKA Scarlet)


Fernanda

Anna

Aisha



Posted by Picasa

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Soltando o Verbo!


Ela é uma dessas pessoas que nasceu para brilhar. Blogueira mostra um trabalho muito bem elaborado no Melodias de Dolor.
Jovem e com um profundo conhecimento fetichista, aceitou o desafio de participar da Associação BDSM e com elegância comandou ao longo do ano uma série de entrevistas com algumas pessoas ligadas ao mundo do fetiche no Brasil.
Fui escolhido para ser o último entrevistado do ano e com muita honra aceitei o convite.
Respondi às perguntas com sinceridade até em temas complicados onde foi preciso dar opinião.
Então, para quem tiver interesse de saber um pouco dessa história de entrega e amor a uma causa, convido a ler a entrevista na íntegra.
Lembrando que amanhã estará disponível a nova enquete prometida na semana passada, assim como a apresentação das novidades do Bound Brazil.


“Nas famosas histórias de mocinhos e vilões é sempre possível visualizar o regaste de uma bela mulher, amarrada, vendada e imobilizada por um bandido terrivelmente sem coração. Ela não consegue se libertar, se contorce, geme. Em realidade é frágil demais para angariar tal feito.E é aí que aparece o herói, triunfante. A salva das garras de um vilão que a deixou exposta, a mercê de tantas crueldades. E como prêmio leva também o amor da delicada jovem.”

Narrativas assim não faltam nos cinemas, nas histórias em quadrinhos, e possivelmente na vida real. Segundo nosso entrevistado, o efeito punitivo e o famoso “estar em apuros”, presentes nestas histórias, carregam uma infinidade de traços que ligam diretamente a Dominação/submissão do BDSM ao Bondage.

Mas não é só isso, afinal, se espera dos envolvidos muito mais criatividade. Ao longo desta entrevista estaremos frente a frente uma figura incansalvemente simpática e solíticita. Receptivo, ACM não deixa de persistir e conquistar prestígio através dos seus textos apaixonados, do site BOUND BRAZIL, e de toda audácia e beleza presente nas fotos que diariamente nos disponibiliza.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Burglar

Hello Crazy People!

O Bound Brazil não pára.
Hoje, dia de estréia o site apresenta a belíssima Nicole em seu primeiro trabalho fotográfico e estrelando o vídeo da semana: Burglar (Assaltante).
Outra estréia no vídeo é a participação também pela primeira vez de Letícia, que deverá ter seu primeiro set de fotos na próxima semana.

O vídeo de Julia Mayo mostra uma ladra audaciosa (Carolina) que sorrateiramente domina duas amigas para roubar objetos de valores, com ênfase clara à captura e a utilização de cordas e mordaças. A tentativa de livrar-se das amarras das garotas aprisionadas é o foco central da trama que conta, ainda, com um delicioso final e a certeza da realização da segunda parte.
Vale destacar as estréias de Carolina, Letícia e Nicole que pela primeira vez realizaram um trabalho de filmagem mostrando total identificação com o conteúdo.

Dois lindos sets de fotos de Vivian e Nicole também fazem parte do pacote de atualizações de Sexta-Feira no Bound Brazil, em mais um trabalho firme e visualmente atraente de bondage, com uma fotografia invejável de Lucia Sanny. Confira!

Na próxima Segunda-Feira atendendo a pedidos que chegam por email, vou lançar um concurso da modelo mais atraente do site Bound Brazil no ano de sua estréia. Vale participar para dar uma força para as meninas que desde o começo fazem o melhor possível para agradar os mais diferentes gostos.
O “Histats” nos possibilita saber quais as fotos mais acessadas, e dentro desse critério vamos pré-selecionar as dez mais vistas pelos membros e visitantes de onde sairá à escolhida.
O melhor comentário ganhará de brinde um mês de assinatura grátis do Bound Brazil. Portanto, vale a sua participação a partir da próxima Segunda nessa enquete relâmpago, fechando o ano de lançamento do blog e do site com chave de ouro.

Bom final de semana a todos!

The Bound Brazil doesn’t stop.
Today, the gorgeous Nicole debut in the website in her first photographic work and starring the video of the week: Burglar.
Another debut for the first time in the video is the participation of Letícia, which must have the first set of photos next week.

The video of Julia Mayo shows an audacious burglar (Carolina) that slowly dominates both friends to steal valued objects, with emphasis of the capture and the use of ropes and gags. The attempting to get rid from the ropes of the imprisoned girls is the central focus of the thriller that counts, still, with a delicious end and the certainty of the accomplishment of the second part.
The debut of Carolina, Letícia and Nicole shooting for the first time shows total identification with the content.

Two pretty sets of photos of Vivian and Nicole are part of the package of updates for every Friday in the Bound Brazil also, plus a firm and visually attractive bondage job, with an excellent photograph work of Lucia Sanny.

Next Monday taking care of upon request that arrives by email, we are launching a competition of the most attractive model of the site Bound Brazil in the first year. The participation will recognize the efforts for the girls who since the beginning are doing the best to realize the most different bondage stil. The “Histats” gave us the possibility to know which the most accessed photo into the website is, and with this criterion we will show you the ten models with more occurrences by members and visitors where you have to choose one only. The best commentary will get free of charges one month of membership for the Bound Brazil website. Therefore, we are counting with your participation next Monday in this enquire lightning, closing the year of launching of the blog and the website.

Good weekend to all!
(Fotos: Nicole modelo exclusiva Bound Brazil)

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

FELIZ NATAL

A todos os amigos que ao longo desse ano me ajudaram a construir esse blog, desejo sinceros votos de um Feliz Natal.
Para abrilhantar essa comemoração, um brinde do site Bound Brazil num belo trabalho que hoje é apresentado como atualização de toda Terça-Feira.


Esse blog entra em recesso de dois dias pelos festejos de Natal e volta Sexta com uma matéria sobre o vídeo do Bound Brazil e dois sets de fotos com uma estréia de tirar o folêgo.
Hoje entra no ar um novo vídeo preview que está imperdível com excelente trabalho de edição de imagem e vídeo de Lucia Sanny e musica do amigo escriba aqui.
Acesse e assista grátis:

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Obsessão


Blind Obsession (1969)

Muitos diretores rodaram temas parecidos como Blind Obsession que chegou ao Brasil muitos anos após seu lançamento com o título de “Cega Obsessão”. A muitos filmes foi creditado o mesmo título e fizeram sucesso como trilher de suspense. Mas esse roteiro mostrou um suspense com doses extremas de fetiche e erotismo por isso merece registro nessa coluna.

O filme baseia-se na história de um escultor cego obcecado por uma modelo e a aprisiona em seu ateliê. Acreditando ter criado uma nova forma de arte tátil, ele e a modelo se envolvem numa alucinada e sadomasoquista relação, entre o erotismo, arte e a morte.
Clássico sem precedentes da nouvelle vague japonesa, do gênero eroductions (filmes eróticos) de atmosfera de horror psicológico. Belo e angustiante, “Cega Obsessão” foi baseado num conto de Edogawa Rampo, pai dos romances policiais nipônicos dos anos de 1920 a 1960. Suas histórias eram recheadas de compulsão obsessiva, desfiguramento e loucura, ficando proibidas de circular no Japão durante a Segunda Guerra Mundial.
O diretor Yasuko Masumura, que já tinha sido assistente dos mestres Kenji Mizoguchi e Kon Ichikawa, é o autor dos filmes mais vigorosos do cinema japonês de todos os tempos. Estreiou pela primeira vez no Brasil em versão original sem cortes e totalmente restaurada no ano de 2001, pode ser encontrado em grandes lojas até mesmo via internet, ou ainda, em algumas locadoras de grande tiragem.

Blind Obsession (2001)

Com um argumento diferente, o cinema americano lançou também a sua obsessão cega. Exatos trinta e dois anos depois e justamente quando chegava por aqui a versão digital do original Japonês, o diretor Rob Malefant criou seu script através de uma história que tem início em uma perseguição policial onde o oficial Fletcher, interpretado por Brad Johnson é ferido de forma que o deixa temporariamente cego. Durante sua recuperação, recebe a ajuda da bela Rebecca vivida pela atriz Megan Gallagher que o treina para voltar às atividades mesmo sem a visão. Tal relacionamento acaba por tornar-se uma relação intensa com tomadas sexuais de muito bom gosto, mas que provocam ciúmes intensos em sua irmã Bedelia (Roxana Zal) que por ter sido vitima durante a infância de um incesto cria um muro de ódio entre ela e todos os homens.
Recuperado da visão, Fletcher se vê as voltas com dois prováveis assassinos, sendo um desses suspeitos a própria Bedelia que cada vez mais debilitada mentalmente seqüestra a própria irmã e a maltrata por estar envolvida com um homem que ela despreza.
A partir desse ponto o filme tem seqüências de suspense impressionantes e um final totalmente inesperado, com Rebecca sendo vitima da obsessão de sua irmã, aprisionada e sofrendo toda a ordem de castigos que jamais imaginara.

Duas obras distintas com argumentos diferentes, títulos idênticos, a primeira com conotação erótica e temática sadomasoquista. A segunda, um trilher de suspense com excelentes tomadas de bondage, silver tape e outros apetrechos. Dicas de tirar o fôlego para os aficionados no gênero erótico fetichista.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Orgulho


Hoje o Bound Brazil roda um vídeo para os membros que aborda um tema controverso.
Não houve a intenção de fazer um remake do vídeo Pride (orgulho) de Isaac W. que já foi motivo de matéria aqui do blog, e de várias entrevistas quando me perguntaram sobre as melhores produções independentes de bondage.
Copiamos o título porque mexe com um assunto polemico, mas que passa bem longe do tema complicado de explicar da versão original. Quando se fala em religiosidade toca-se num aspecto muito particular e de difícil abordagem, até porque tenho o ponto de vista de que este tema é totalmente de foro íntimo.
Mas na nossa versão de Pride (orgulho), buscamos introduzir apenas a captura de duas meninas inocentes que batem à porta de amigas maliciosas para tentar vender seus livros e revistas. Trajadas com vestimentas comportadas, as duas jovens (Cris e Vanessa), são vitimas de uma trama cruel arquitetada em segundos pelas vilãs (Scarlet e Brida) quando colocam sonífero na bebida oferecida às visitantes.
Indefesas, são submetidas a sessões de bondage e podolatria forçada segundo a vontade de suas raptoras.
Com dezoito minutos de duração, o vídeo mostra ótimas tomadas em close de amarrações e podolatria, com excelente atuação das quatro meninas que souberam traduzir muito bem os detalhes do fetiche.

Novos sets de fotos fazem parte dos lançamentos dessa Sexta-Feira e trazem um trabalho de alinhamento perfeito de cordas na belíssima Fernanda e, ainda, a estréia de Carolina em seu primeiro trabalho para o Bound Brazil.
Lembramos a todos que o site seguirá o cronograma de atualizações durante os festejos de final de ano duas vezes por semana sem qualquer interrupção.
Aos membros brasileiros que enviam mensagem sobre renovação de assinatura, a mesma deve ser renovada no mesmo campo “Seja Membro” onde foi constituída pela primeira vez, com planos de extensão de 30, 90 e 180 dias.

Excelente final de semana a todos!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

O Porteiro da Noite


Lançado na Itália no ano de 1974, o filme O Porteiro da Noite com um elenco de primeiro nível, conta a história de uma mulher que foi prisioneira nos campos de concentração Nazista na Segunda Guerra Mundial, reencontra o oficial que lhe havia imposto torturas trabalhando como porteiro de um hotel. Estrelado por Dirk Bogarde e Charlotte Rampling, o filme é ambientado na cidade de Viena, na Áustria, no ano de 1957.
Lucia Atherton (Charlotte) e Maximiliam Theo Aldorfer (Bogard) revivem a mesma paixão que os fez unir treze anos antes, através de uma relação sadomasoquista fora dos muros do campo e aquém dos perigos que haviam enfrentado durante a guerra.
Com uma direção competente de Liliana Cavani, O Porteiro da Noite traz à tona um envolvimento muito parecido com a Síndrome de Estocolmo, quando a pessoa raptada se apaixona por seu algoz.
Casada com um famoso maestro após a guerra, Lucia começa a relembrar os momentos vividos com seu ex-amante e torturador logo após o reencontro em Viena e na primeira viagem de seu marido, combina um encontro com o ex-oficial Nazista no hotel Weber em Frankfurt, na Alemanha, onde um grupo de ex-Nazistas se reúne para fazer um balanço da situação de cada membro.
Preocupados com a possibilidade de que testemunhas de seu passado inglório venham a delatá-los e com os arquivos que ainda existiam das atividades desses oficiais durante a guerra, elegem Klaus como seu líder, que começa uma varredura entre todas as pessoas sobreviventes passíveis de fazer um reconhecimento desses ex-oficiais. Lucia, porém, escuta as conversas atrás da porta e quando Max vai ao seu apartamento e lhe pergunta se está ali para delatá-lo, os dois discutem e Max agride Lucia o que desencadeia todo um ritual sadomasoquista escondido durante os anos de afastamento.
A paixão fala mais alto e Lucia decide mudar para o apartamento de Max, onde já percebidos pelos lideres do movimento de ex-oficiais da SS são vigiados de perto pelo restante do grupo. Max pede demissão do hotel e junto com Lucia abrigam-se em sua casa onde praticam o sexo sadomasoquista até que seu estoque de alimentos acabe.
Fracos e sem força para reagir, fogem e são executados pelos ex-nazistas ao cruzar uma ponte durante a escapada.
O Porteiro da Noite mostra um amor incondicional dentro de uma relação fetichista que desafia o tempo e os padrões, invade ambos de sentimentos e os faz abdicar de tudo conseguido na vida até então, em troca de reviver os melhores momentos entre eles. A liberdade que Max havia logrado a um custo alto torna-se perigosa com a presença de Lucia, mas mesmo assim ele decide abrir mão de qualquer prerrogativa por algo muito mais importante.
O fetiche é retratado em diversas cenas e a excelente fotografia e direção ajudam ao espectador que fica envolvido nessa trama de sexo e suspense. Com uma trilha sonora de primeira linha, a cena em que Lucia imita Marlene Dietrich na musica “O Anjo Azul” do ano de 1930 retrata toda a musicalidade contida na obra.
O filme O Porteiro da Noite está disponível em DVD e pode ser adquirido no seguinte endereço eletrônico:
http://www.2001video.com.br/detalhes_produto_extra_dvd.asp?produto=4848

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Beleza e Inspiração

Ele não me pediu que publicasse a foto e muito menos reclamou qualquer autoria do texto, mas sempre que mesclamos belas imagens com palavras insólitas as duas coisas se completam de forma homogênea.
Náuticus, você foi feliz na foto e no texto


Certamente “esta imagem vale mais que mil palavras”, conforme o antigo jargão do meio jornalístico. Mas vale a redundância para melhor descrevê-la.
Trata-se de uma mulher que despertou para um novo mundo, cheio de aventuras, assim como as borboletas que se libertam de seus casulos para voarem livremente, desbravando novas sensações a cada movimento de suas asas.
Todo esse processo pode ser doloroso e sem dúvidas deixar marcas – na pele e, principalmente, na alma.
Mas as marcas são passageiras, as experiências
eternas.
(Foto: Os pés da Becky, www.boundbrazil.com)

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Virando a Página


Faltam alguns dias para encerrar o ano.
Dentro de poucos dias também termina a enquete desse blog lançada no dia 10 de Junho quando essas páginas começaram a ser escritas. Hoje, mais de quarenta mil acessos são contabilizados aqui e dá para fazer um balanço do que foi positivo ou do que foi negativo ao longo desse tempo.
Dentre todos esses amigos, duzentos e quarenta e dois avaliaram o blog como ótimo, quinze acharam bom e apenas seis julgaram esse espaço como ruim. Esse balanço começa obrigatoriamente com um agradecimento a todos que estiveram aqui, que gastaram seu tempo lendo opiniões, dicas, sinopses de filmes, enfim, toda uma gama de assuntos relacionados com o fetiche.
Mas o melhor disso tudo é que muita gente se conheceu aqui, através dos muitos comentários que abrilhantaram cada matéria, e como é bom saber a opinião de quem lê o que agente escreve, é indescritível, algo que significa a sensação do dever cumprido.
Havia apenas um fotoblog onde algumas fotos eram postadas de um trabalho que estava em seu começo, e que veio se tornar realidade no Bound Brazil, mas faltava a opinião, um canal onde todos pudessem expressar suas verdades, falar de seus desejos e participar, para que tudo fosse contabilizado e virasse um grande banco de dados que ajudou e ainda ajuda no desenvolvimento do site e até na formação do meu próprio conceito de trabalho.
Mas a razão da matéria de hoje não é somente agradecer a todos pela participação e presença constante no blog, o que desejo é que essa nova enquete seja idealizada a quarenta mil mãos, que essa pergunta que começará no próximo ano seja fruto de um grande debate que proponho seja realizado aqui por todos nós que juntos construímos esse cantinho o qual visitamos todos os dias.
As opiniões deverão chegar através dos comentários os quais poderão ser postados até como anônimo, porque ninguém está obrigado a se identificar para dar uma idéia do que deve ser a razão do debate. Não precisa ser didático, somente ter espírito coletivo e expressar o que gostaria de ver votado através desse blog. Se preferir pode enviar um email direto que também será contabilizado.
Independente da nova enquete esse espaço vai abdicar do direito de férias e matérias novas serão postadas durante os feriados de fim de ano e, também, no mês de Janeiro.
Costumo utilizar os dias úteis para publicar novas postagens e assim vou seguir fazendo. Alcançamos à marca de cento e quarenta e duas postagens e ainda teremos outras até o final do ano. Raras são às vezes em que tenho o assunto na cabeça para postar, fazendo com que rebusque fatos e argumentos que possam ser de utilidade a quem freqüenta o blog, por isso, através dessas idéias de todos vocês buscarei construir um painel e elaborar os temas de acordo com a opinião de todos.
Bem, razões existem de sobra para solicitar essa colaboração e fazer desse canal um meio cada vez mais comunitário e participativo em benefício de nós todos, que buscamos aprofundar nosso conhecimento sobre algo que tanto gostamos e nos faz sentir melhor.
Mais uma vez um obrigado a todos que votaram na enquete que chega ao seu final, afirmando que todas as opiniões foram importantes, até as que não gostaram da condução do blog, porque como já dizia um grande gênio da dramaturgia “a unanimidade é burra!”

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

A Cena Perfeita

Muitos críticos sentaram o sarrafo nesse filme produzido no ano de 2001, mas que apareceu por aqui quase despercebido no ano seguinte.
Birthday Girl, filme do diretor Jez Butterworth pode ser encontrado em DVD com o título de “A Isca Perfeita” um roteiro de suspense onde um bancário vive seu drama em participar de uma jogada desonesta e a noiva russa a qual conhece pela internet, interpretada pela bela Nicole Kidman.
Um filme bem comum com um enredo básico e bastante explorado anteriormente, mas que reúne cenas de interação fetichista quando Nicole descobre vídeos e revistas de bondage, com algumas doses de sadomasoquismo entre os pertences de seu noivo.
Raptada, envolvida na trama como isca, Nicole exalta o fetiche por sua beleza incontestável e nos trechos em que incita o noivo com pedaços de pano a amarrá-la para uma sessão de bondage. Realmente imperdível.
Posto aqui um mix dessas cenas para o delírio dos aficionados que nunca tiveram a oportunidade de ver Nicole Kidman no papel de Damsel in Distress.



video



Vanessa e Rafaela no Bound Brazil

Amanhã o Bound Brazil apresenta dois sets inéditos num total de 120 fotos de duas modelos muito solicitadas através das mensagens recebidas diretamente no site.
Vanessa e Rafaela aparecem em dois trabalhos de bondage de diferente aspecto de amarração, porém com uma sintonia absoluta do quesito donzela em perigo.
Na semana do Natal o Bound Brazil está preparando uma surpresa para todos os membros, aguardem!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Nossos Conflitos (Saudades de Bettie Page)

Às vezes encerramos nossas conversas solitárias sem achar o que muitas vezes pensamos ser a solução, e mesmo quando falamos com nós mesmos desistimos ou simplesmente deixamos de lado para voltar ao assunto quem sabe algum dia.
Faz dois dias que publiquei aqui no blog uma matéria sobre a luta de Bettie Page pela sobrevivência, isolada num quarto de hospital em coma profundo o ultimo suspiro decretou o fim de todos os seus conflitos pessoais. Ela faleceu nessa madrugada aos 85 anos.
Por anos ela oscilou entre o real e o abstrato imergindo num abismo de esquizofrenia diagnosticada, culpa dos conflitos que a levaram a esse patamar. Ela esteve anos distante de tudo e de todos, aliás, tornou-se uma lenda para milhares que não tiveram a chance de ver seu desempenho como modelo e atriz, e fechou-se para o mundo dentro dos muros onde só ela sabia o que se passava por lá.
Assim é a vida, fazemos sempre as nossas escolhas. E quando não há estrutura para suportar as pressões que emergem em quem ousa desafiar conceitos e padrões sociais, o limite é raso demais e nos faz afundar sempre mais um pouco.
Não tenho competência terapêutica para escrever aqui como um profissional, mas ouso dizer que a experiência de vida me faz afirmar que nada deve ser recolhido a conversas solitárias internas as quais não produzem o efeito desejado. Portanto, ninguém deve se trancar no armário por ser fetichista, sadomasoquista, homossexual, porque não existe vergonha maior perante o mundo do que a que sentimos diante de nós mesmos.
Se tomarmos a decisão de enfrentar qualquer preconceito isso deve ser feito com plena consciência das causas e efeitos que podem advir dessas atitudes, porque o arrependimento pode se tornar um inimigo invisível e silencioso cada dia mais presente durante toda a nossa existência.
Ter bom senso e buscar sempre a felicidade é uma obrigação, mas isso só é passível de acontecer quando estamos de bem com a nossa consciência, por isso vale estar alerta e buscar uma reflexão antes de cada atitude sempre com otimismo desde que não haja exagero.
Criei um site nacional de bondage e vivi meus conflitos aqui mesmo nas páginas do blog e assim preferi fazer a buscar soluções através do isolamento voluntário. Isso se aplica a qualquer um que acompanha os assuntos diários e se identifica com vários fetiches que são temas de apresentação e discussão. Façam amigos, busquem sempre contar a alguém de sua inteira confiança o que te faz sentir melhor e assim a vergonha fica de lado mesmo que por um determinado momento, até que um dia ela vai embora de vez e podemos dizer o quanto é bom estar feliz.
Mas esse mundo ainda é um lugar muito lindo e cheio de alegria a nosso redor.
Bettie se foi, mas deixou um legado de energia e beleza a ponto de tornar-se essa referencia e símbolo que se fala mundo afora. Suas histórias e façanhas nos tempos modernos sobrepõem todos os anos de escuridão onde sua luz deixou de brilhar.
E temos que enaltecer toda essa alegria que ela procurou transmitir através de suas fotos que refletem até os dias de hoje pelos caminhos que ela deixou aberto as gerações que se seguiram.
Todos têm o direito de escrever a própria história, porém com o entendimento do que passa à nossa volta e sabedoria para enfrentar os obstáculos que a vida nos proporciona pelo próprio sentido comunitário do mundo em que vivemos. Etapas, barreiras, estão sempre à nossa frente, mas com perseverança e alegria é muito mais fácil transpor.
(Na Foto: Bettie Page 1923-2008)

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Kidnap

Um novo vídeo vai ao ar amanhã no Bound Brazil.
Com um argumento de Julia Mayo que estréia nesse segmento, Kidnap tem no elenco Monique (AKA Scarlet), Talita e a participação de Anna.
A trama se desenvolve a partir do seqüestro de Monique que é amordaçada em um cativeiro para ser pedido um resgate enquanto sua amiga Talita resolve partir em busca da colega seqüestrada.
Ao tentar livrar Monique das garras de seus raptores, Talita é imobilizada no mesmo local e as duas tentam escapar dos domínios dos seqüestradores.
Com uma atuação impecável das duas modelos e uma seqüência de bondage de dar água na boca, as duas travam uma luta incessante contra as cordas no melhor estilo Damsels in Distress.
Hanna Vitória e Becky reaparecem nas atualizações de fotos em dois sets perfeitos em termos de restrição de movimentos e alinhamento de nós.

Mais uma oportunidade de tornar-se membro do Bound Brazil e aproveitar as promoções que já estão no site via Pag Seguro.
A partir da próxima semana estará disponível associar-se através do sistema Verotel que aceitará os cartões Visa nas opções mensal e trimestral, uma conquista do nosso site e uma reivindicação de muitos aqui no blog.
(Foto à Direita: Trecho do Video Kidnap com Monique e Talita)
(Foto à Esquerda: Becky no Bound Brazil)

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

A Grande Batalha de Bettie Page


A famosa pin-up dos anos cinqüenta e pioneira em trabalhos fotográficos de bondage Bettie Page, está internada no Centro de Terapia Intensiva de um hospital de Los Angeles nos Estados Unidos, tentando se recuperar de um ataque cardíaco.
Aos 85 anos, Page estava internada para tratamento de uma pneumonia e quase liberada pelos médicos foi vítima desse ataque cardíaco e, segundo a Associated Press seu estado de saúde é considerado crítico.
Amigos mais próximos chegaram a afirmar que a famosa modelo estaria em coma, mas fontes de informação não confirmam e também não negam essa notícia.
Bettie Page, a secretária que se transformou em modelo tem como crédito a contribuição que a geração rebelde dos anos sessenta herdou devido a seu atrevimento e suas atitudes.
Ela atingiu grande projeção nacional na América e seus trabalhos fotográficos estiveram estampados em todos os outdoors que mostraram seus ensaios sensuais de leste a oeste. Essas fotos incluíam suas poses para a revista Playboy a partir de Janeiro de 1955 com fotos ousadas para a época e, ainda, sets com temática sadomasoquista.
Page esteve afastada da mídia durante décadas, travou uma batalha interior fervorosa por vários anos até se auto determinar renascida, assumindo uma postura absolutamente Cristã.
Após um reaparecimento muito rápido no começo dos anos noventa, concedeu pequenas entrevistas, porém, negou-se terminantemente a posar novamente por qualquer motivo.
Seu último agente e amigo Muller ofereceu a Page no ano de 1989 uma saída da reclusão voluntária através de books fotográficos e venda de autógrafos que lhe garantiriam altas somas em dinheiro, mas Bettie foi irredutível, mesmo diante de uma oferta irrecusável de 3.000 dólares por autógrafo, uma quantia astronômica se comparada a outras tantas personalidades como Eleanor Roosevelt que jamais logrou conseguir mais de 50 dólares por suas assinaturas, apesar da fama de ter sido a mais atuante primeira-dama norte-americana.
O mundo fetichista faz suas preces para essa diva em sua grande batalha que ousou desafiar toda uma sociedade conservadora com um novo conceito, desmistificou o que era proibido, falou para as massas através de ensaios fotográficos que o fetiche tinha lugar reservado nesse planeta e descobriu a “pólvora” profetizando o que viria a seguir e perduraria até os dias de hoje.
Muito de nossa liberdade de expressão e conduta devemos a Bettie Page e sua intrépida ousadia, mesmo considerada infame e imoral. Perdeu-se a conta de tantas lutas que essa mulher travou para ser a mais rebelde das pinups que já existiu.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Infantilismo


Conceito:
Antes de parafilia, diria que é um fetiche. Assim como alguns têm por lingerie, salto alto e outros objetos, os infantilistas têm fetiche por fraldas e calças plásticas na maioria das vezes. O infantilismo pode ser curtido a sós ou a dois. Há muitos casais infantilistas, que trazem esse prazer para dentro da relação sexual em si. O infantilismo jamais deve ser confundido com pedofilia, pois sua prática jamais envolve crianças, mas sim, o desejo de ser uma; um bebê, para ser mais exato. A maioria dos infantilistas prefere as fraldas e calças plásticas, embora alguns também gostem de chupetas, mamadeiras e outros objetos. Os que usam fraldas e calças plásticas, agem como os bebês (literalmente falando), fazendo nelas tudo o que um bebê faz (...). O fato disso ser comparado a um fetiche deve-se à ligação que há entre o contato do plástico (calça plástica) com o corpo; o que provoca uma enorme excitação. Embora o Brasil seja um país com um preconceito enorme e machismo acentuado, é cada vez maior o número de pessoas se identificando com essa prática e assumindo-se como infantilistas. Homens, mulheres, casais, enfim, pessoas em busca de um algo mais, um prazer diferente. Um raro prazer (...).

Ontem assistindo ao programa “Sexcetera” vi uma matéria interessante sobre infantilismo e antes que haja confusão com Pedofilia fiz questão de postar o conceito para que não paire nenhuma dúvida do que se trata.
Durante muito tempo considerado uma parafilia que apregoa o prazer sexual a alguma prática específica sem que seja necessário copular para alcançar o prazer, o infantilismo em alguns casos agrega algumas práticas sadomasoquistas e faz com que alguns praticantes absorvam castigos de infância a esse fetiche.
Muita gente torce o nariz ao infantilismo assim como aos fetiches de chuvas por considerar uma anomalia, mas esse critério deve ser reavaliado porque corre o sério risco de tornar-se preconceito.
Ninguém está obrigado a praticar certos fetiches, mas por ter ligações com esse mundo e alguma atração extra por desejos menos agressivos aos olhos deve pelo menos respeitar o direito alheio por quem se dedica a esse ou aquele fetiche.
Não é necessário levar palmadas para ter prazer com práticas infantilistas porque a atração está nos objetos e na regressão de memória aos tempos de infância. Por ser um tema muito complexo o qual nunca pude observar de perto ou me aprofundar em detalhes, prefiro apenas colocar o assunto em pauta e esperar pelos comentários dos amigos que se dediquem ou que tenham um conhecimento apurado dessa prática.
Portanto, deixo aberto aos debates se o assunto for do interesse de algum leitor aqui do blog.

ESTRÉIA NESSA TERÇA
NO BOUND BRAZIL

Cumprindo o calendário o site boundbrazil.com apresenta hoje dois novos sets de fotos com Sarah Moon e promove a estréia da dupla Suzana e Lais num trabalho sensual e muito bem captado pela competente Lucia Sanny.
Essa semana chegaremos à marca de 3000 fotos e seis vídeos desde a implantação so site no início de novembro. Com pouco mais de um mês de atividade o Bound Brazil acelera para tornar-se destaque nesse segmento a nível internacional.
Confira!




segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Momentos

Mateus estava sozinho há pouco tempo.
Fetichista convicto e amante de podolatria foi a uma boate em Copacabana atrás de um encontro raso que pudesse afagar a alma e ter momentos de prazer depois de dias difíceis.
Fora casado com Andréia uma jovem médica que o havia trocado por um colega de profissão e já era carga bastante saber que mulher havia se interessado por outro, deixado um casamento de cinco anos com uma filha no meio. Mas ele na casa dos trinta, cheio de vida e vontade levou um tempo pra perceber que o que havia construído agora era passado.
Essa história aconteceu durante a Copa do Mundo de 1994 em que o Brasil sagrou-se tetra campeão e me lembrei de contar aqui porque Sábado passado nos encontramos depois de tanto tempo depois. Hoje, vivemos em lugares distantes e não somos mais vizinhos de porta como antigamente, por isso encontrar pessoas que se esvaem pelas estradas da vida é sempre complicado, mas essa história é interessante.
A pior coisa que existe é afogar as magoas em um bordel depois de uma relação desfeita, porém a grande maioria dos homens vive esse destino não obstante a época porque os bordéis existem desde que a humanidade se organizou. E quem não fez isso?
Mateus precisava naquele dia de um pé amigo que pudesse suprir a sua carência afetiva momentânea desde a separação. Me contou que tentava enxergar um par de pés na escuridão do assoalho do inferninho e, finalmente conseguiu unir o rosto à dona dos pés desejados, muito embora não tivesse uma visão perfeita.
Combinaram, beberam algum drinque a mais e partiram para a noite perfeita.
O encontro foi num motel de quinta categoria sugerido pela “atendente” o que segundo Mateus seria um local seguro para um primeiro encontro, nada de um local muito distante mesmo que tivesse melhores acomodações e a sugestão do apartamento foi descartada logo de cara e com elegância.
Resoluto, Mateus mergulhou de cabeça porque segundo suas próprias palavras era tudo que lhe restava fazer, trocar a agonia de uma separação e largar de vez as mágoas e sofrimentos em vão. “Ninguém merece sofrer por alguém que não se importa” – lhe disse naquele tempo.
- Quando cheguei naquele pulgueiro e dei de cara com aqueles pés maravilhosos quase tive um ataque e voei em cima – disse.
Ela apresentou-lhe um par de camisinhas e ele disse que queria beijar-lhes os pés.
- Mas meus pés estão sujos, suados, eu estava dançando o tempo todo e tenho que tomar um banho antes – ele disse que a garota havia ficado assustada com a ousadia.
Mas ele jogou-se no chão assim mesmo e sem o menor pudor arrancou-lhe as sandálias e começou a saciar seus desejos sem banho, sem nada. Gostou tanto que pagou o dobro e o encontro se estendeu noite adentro terminando na manhã do dia seguinte. Passou a freqüentar o local pelo menos três vezes por semana, pegou o telefone, ficou intimo e nem ao bordel precisou voltar para vê-la.
Essa relação se transformou num romance de vários anos que segundo Mateus só terminou há um ano e meio atrás. Ela deixou de trabalhar na boate, ele a assumiu e moraram juntos até não dar mais certo. Não quis comentar as razões que fizeram esse envolvimento desmoronar a fundo, mas me garantiu que viveu os melhores anos de sua vida a seu lado.
Estava tarde, havia filmado durante toda à tarde para o site e o cansaço já me baita a porta. Achei legal demais ter reencontrado Mateus e ter escutado sua história, é sempre bom saber por onde andam os amigos e tive sorte porque nos vimos já de noite após ele ter ido visitar parentes perto do local onde fomos vizinhos.
Nos despedimos e Mateus me confessou que dali sairia em busca de novas emoções em um outro bordel na tentativa de começar tudo outra vez.
Pano rápido!
(Crédito da foto: Blog Louco por Pés)

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

As Mulheres, Fetiches e Love Bondage


Meu amigo VH mandou uma mensagem hoje de manhã falando de um novo blog com conteúdo voltado para o público feminino, ou seja, mulheres que gostam de amarrar seus parceiros para a prática de love bondage. (http://vhlightfeminino.blogspot.com/)
Aliás, o VH é o verdadeiro espadachim do bom combate e há anos espalha pela internet seus inúmeros canais de blogs e grupos, onde muita gente participa ativamente.
Falando em participação ativa feminina no campo do fetiche, cabe comentar que as mulheres na sua grande maioria encaram o fetiche de love bondage como uma fantasia gostosa de praticar durante o ato sexual, basta municiá-la com um pedaço de pano ou corda, talvez uma algema e ela viaja na fantasia.
Mas será que ela buscaria o fetiche como a maioria dos homens?
Por que perguntar isso? Porque ser fetichista é ter uma verdadeira adoração por determinada coisa ou prática muito maior que uma fantasia a mais durante um ato sexual. As mulheres de maneira geral são muito acanhadas quando tocam num assunto de extrema delicadeza como esse, assumem posturas comedidas com medo da exposição de sua intimidade, totalmente ao contrário dos homens que quando encontram um caminho que possa levar a essa órbita, agarram-se a ele e tocam o barco pra frente.
Mas não é só essa mensagem que o VH quer passar com o blog feminino, pois além de incentivar essa participação feminina ele publica fotografias de sites americanos que utilizam o homem sendo imobilizado por mulheres, quando normalmente se faz de forma contrária, vide o Bound Brazil.
Devem ficar fora desse contexto mulheres que tem interesse em dominar o parceiro através de práticas sadomasoquistas e relações D/S, porque nesse aspecto as mulheres mostram-se com naturalidade. Elas partem em busca de fotos, criam blogs, freqüentam festas fetichistas, tornam-se Rainhas e aceitam subjugar seus súditos através dessas relações.
Mas a dúvida ainda persiste no quesito love bondage. Verdade que conheci muitas mulheres que se apegaram a essa fantasia desde que foram apresentadas a elas, mas nunca escutei falar de garotas que desde cedo se deliciaram com filmes onde homens eram aprisionados, feitos de reféns, seqüestrados, raptados, assim como nós em inúmeros filmes que cultuamos até os dias de hoje e nunca saem da nossa lembrança.
Será que elas teriam essa ligação fetichista ou os sites americanos de homens em perigo são produzidos para nós mesmos, quando nos imaginamos sendo possuídos por uma bela mulher através de uma brincadeira inocente?
São muitas perguntas que na maioria das vezes ficam e permanecem sem respostas.
Algumas mulheres participam aqui do blog em diversas matérias postando comentários sobre alguns assuntos, mas nunca se apresentaram como bondagistas, jamais ousaram dizer que um filme como “O Livro das Revelações” onde um dançarino é seqüestrado por mulheres como culto ao love bondage. Assisti a um trailer desse vídeo no blog Faces da Bela e acompanhei os comentários da matéria, talvez em busca de algo que me fizesse acreditar que alguma bondagista pudesse aparecer e falar: “sonho um dia amarrar aquele cara e transar por uma semana inteira...”.
Quem sabe através dessa matéria ou do blog feminino do VH as nossas divas ocultas e eternas um dia apareçam e nos mostrem que não é delírio acreditar que isso existe e não é cabeça de bacalhau, o que todos sabem que existe, mas ninguém vê.
Um bom fim de semana a todos!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Cócegas, Horas de Angústia e coisa e tal

A receita não foi muito complicada.
Pegamos um jargão muito badalado e aplicamos num vídeo de quinze minutos.
Duas amigas Natalia e Thayani entram num terrível jogo da verdade criado por Scarlet porque considerava tudo muito monótono num fim de tarde de conversas.
Trapaceando, Scarlet consegue impor sua vontade de forma consensual juntos às duas visitantes e, de maneira planejada, amarra as duas após perguntas complicadas sem dar tempo de qualquer resposta.
Com um cachorro atrás da orelha (uma pulga seria muito pouco), as duas admitem participar da brincadeira que vai ficando cada vez mais séria, na medida em que Scarlet cobra de Natalia um possível envolvimento com seu namorado no verão passado.
Inicia-se uma série de castigos à base de cócegas imposta por Scarlet nas duas amigas com um final inesperado e imprevisível.
Para quem gosta de tickle e podolatria um vídeo impossível de perder.
Na outra ponta, novas e lindas fotos de Talita e Rebeca marcam mais uma atualização de toda Sexta-Feira no Boundbrazil.com
Para o pessoal que assina o site e manda emails com comentários sobre as modelos e suas performances uma boa notícia: está em fase final de produção o blog post com o perfil de cada uma das garotas, onde os membros poderão interagir com a sua modelo preferida diretamente sem a intermediação da administração do site. Esse serviço estará disponível no link Garotas na versão em Português ou Ladies na versão em Inglês.


TERROR AMONG US (Horas de Angústia)


Muito já se falou em matérias e comentários a respeito do filme Terror Among Us, passado no Brasil com o nome de Horas de Angústia.
Verdade e certeza absoluta de que dez entre dez bondagistas elegem esse filme como um dos melhores em termos de mulheres em perigo (DID - Damsels in Distress), ou até o que despertou algo adormecido ou encruado.
Consegui a melhor seqüência do filme numa resolução excelente e posto aqui.
O filme realizado para a televisão em 1981 com direção de Paul Krasny tem no elenco a atriz Sarah Purcel no papel de Jenifer, e conta a história de um oficial de policia que persegue um psicopata e seqüestrador que parte em busca de vingança contra cinco amigas que testemunharam contra ele alguns anos antes.
Vale a pena ver essa versão tipo Did Cap(*) e quem estiver interessado em possuir a título de coleção basta enviar um email que terei o prazer de remeter.
(*) Did: Damsels in Distress - Cap: Significa a captura da cena onde existem donzelas em perigo.
video

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

La Belle de Jour (A Bela da Tarde – 1967)



O cineasta Luis Buñuel construiu um filme baseado num enredo muitas vezes utilizado que fala da infelicidade de uma mulher rica, com um casamento monótono e, por isso, parte em busca de aventuras prazerosas dentro de um bordel.
Num cenário tipicamente francês dos anos sessenta, Buñuel conta no elenco com a beleza estonteante de Catherine Deneuve e um ótimo time de coadjuvantes, passeia por várias situações de envolvimento dentro da relação cliente-prostituta onde ficam evidentes práticas de submissão e dominação no discreto local de encontros.
Até o aparecimento de um delinqüente que transtorna sua vida, Séverine interpretada por Deneuve consegue desenvolver sua dupla personalidade adquirida dentro de suas aventuras, descobre o prazer que o marido é incapaz de lhe dar e deixa-se levar por um caminho sem volta.
O filme foi aclamado por público e critica da época e até hoje é visto como um clássico do cinema francês e mundial, e no quesito fetichista reproduziu com firmeza e riqueza de detalhes alguns aspectos que conotam as estreitas relações produzidas em locais secretos, quando o fetiche era visto com pouca cordialidade apesar de praticado numa sociedade culturalmente evoluída como a Européia.
Com destaque para as cenas em que Séverine se nega a participar como dominadora de um dos clientes do bordel no início de suas aparições como prostituta, enquanto observa por um tipo de olho mágico de segurança uma “colega” de trabalho subjugando um cliente submisso e, para a parte em que é amarrada e conduzida a uma relação sexual,
na verdade o filme mostra cada personagem dentro da mesma ótica, numa linguagem comum e não procura em momento algum vivenciar seus dramas pessoais, até mesmo da protagonista que resolve trabalhar pela primeira vez na vida mesmo sendo de duas às cinco da tarde.
Os clientes do bordel e seus fetiches são retratados sem censura, com o respeito devido e ensaia a identificação de Deneuve com fatos os quais nunca havia tido o menor contato e conhecimento.
Vale à pena aproveitar esse lançamento em versão digital remasterizada que pode ser encontrado com facilidade em várias locadoras ou para a venda.
Posto uma seqüência de submissão já mencionada aqui na matéria para dar destaque a esse filme tido como o mais conhecido da obra de Luis Buñuel, ganhador do Leão de Ouro do Festival de Veneza.
La Belle de Jour Submission Scenes

video

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Couve de Bruxelas

Sempre existe alguma coisa muito boa que é difícil de encontrar.
Todos aqui devem conhecer as Couves de Bruxelas, uns gostam e outros não, é assim mesmo como tudo na vida. Mas para os apreciadores dessa iguaria nem sempre é fácil de achar as bolinhas verdes com jeito de repolhos em miniatura.
Engana-se quem pensa que esse blog vai falar sobre culinária hoje, a simples comparação dessa verdura com o fetiche fica apenas na raridade, porque é muito difícil de achar, pelo menos para quem vive na zona urbana das grandes cidades.
Quando existe a possibilidade de diálogo para a introdução do fetiche numa relação ainda pode haver alguma chance, mas quando essa oportunidade não é concedida fica muito complicado.
Há muito tempo atrás, lembro que tentei uma conversa no sentido de levar o fetiche para uma relação ainda no começo e quando toquei no assunto de usar uma corda levei um fora que um passageiro de um ônibus a quilômetros de distancia podia ouvir:
- Não vem com essa conversa porque detesto esse negócio de sadomasoquismo – escutei.
Mas quem havia tocado em sadomasoquismo? Com certeza ao me ouvir falar em cordas ela havia pensado que queria bater nela ou coisa assim, mas nem a mínima chance de tentar explicar que focinho de porco não é tomada ela me deu.
Esse é um exemplo de que encontrar a parceira para uma relação fetichista é como achar Couve de Bruxelas na feira, é sazonal.
Mas a insistência nesses casos é a senhora da razão e não há desanimo que possa corromper o desejo. Nada acontece de graça e às vezes você consegue sucesso de onde menos espera, é como aquela velha frase de que a felicidade está a um palmo do nariz.
Custa um pouco é verdade, mas a recompensa é infinita, mesmo levando-se em conta o poeta que dizia: “que seja infinita enquanto dure”.
E todo mundo deve tentar, principalmente da forma exata como se gosta do fetiche, suave, pesado, o certo está no pensamento de cada um. Um dia aparece alguém pelas esquinas da vida que além de aceitar pode gostar muito também.
Pensando nisso quando idealizo um vídeo dos muitos que penso em produzir procuro alcançar dentro da linha fetichista do site um pouco do gosto de cada um, através dos emails que recebo e de certa experiência que a vida me concedeu.
Jamais me consideraria um cineasta, isso passa longe da minha cabeça, mas um realizador de vídeos fetichistas onde busco mostrar as diversas formas como bondage pode ser inserido. As fantasias são as mais diversificadas possíveis e os detalhes os mais incríveis, porque fetiche sem detalhe não existe. Fetiche é como bunda, cada um tem o seu.
Assistir a um vídeo fetichista é legal, seja de bondage, de SM, podolatria, qualquer um dentro do gosto de cada pessoa, mas é importante que esse desejo não fique reprimido ou fechado a sete chaves. Precisa ser passado adiante, pelo bem de quem tem o desejo e para beneficio de alguém que um dia pode fazer parte dele.
HOJE NO BOUND BRAZIL

Seguindo a tradição das Terças-Feiras, hoje o Bound Brazil apresenta duas morenaças de parar o trânsito. Fazem estréia no site as maravilhosas Angel e Mariah. São sessenta fotos de cada Deusa de Ébano e posso garantir que se houver algum defeito foi do bondagista aqui. Vale a pena conferir.
Já estão disponíveis planos de assinatura trimestral e semestral pelo Pag-Seguro e até o final da semana o sistema Verotel estará aceitando os cartões Visa, impossíveis de serem comercializados via CCBill.
Aos amigos e assinantes que enviam sugestões de fotos e vídeos queria garantir que muito material que está sendo produzido já está dando à atenção devida aos pedidos de todos.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

La Dolce Vita


Conversa de fetichista acaba sempre em algo comum.
Não que gostar de fetiche seja condição necessária de falar sempre sobre o mesmo assunto, até porque acho isso uma completa anulação e mostra incapacidade de convivência. Mas na hora certa e entre pessoas que falam o mesmo idioma é muito bom.
Sábado passado falávamos sobre alguns filmes que marcaram época, que trazem lembrança de algo de tanta força que o tempo não apaga, e alguns comentários daqui pra lá e de lá pra cá levaram a algumas conclusões.
Alguns até admitem abertamente que na maioria dos casos gente do bem torce pelos bandidos e isso é inegável. Coloquemos assim: “que ele faça bastante maldade com ela, que a mantenha amarrada por grande parte do filme, que a torture o tempo necessário sem causar-lhe maiores prejuízos físicos, mas no final se dê muito mal”.
Isso mostra a inocência do fetichista que cria um mundo paralelo de fantasia quando se depara com um cenário que lhe dá essa condição. Quem nunca sonhou na adolescência com a garota mais bonita da turma sendo seqüestrada? E, pior, justamente por nós mesmos!
Pois essa fantasia acompanha a vida toda, muda apenas de local e de possibilidades, afinal, se fazemos isso com nossas namoradas, esposas, amantes, por que não construir uma relação com o que foi puro sonho de noites de verão lá atrás?
Nada é moralmente incorreto quando acontece de forma consensual, ou seja, se ultrapassa as telas do cinema ou o mundo dos sonhos é caso de internação para tratamento urgente. Ninguém sai por aí seqüestrando uma mulher porque tem desejos bondagistas, ninguém sai torturando alguém sem consentimento mesmo que tenha tentações sadomasoquistas. Há uma ordem a obedecer e uma linha de conduta que pautar.
Mas a vida é uma grande festa quando sabemos ter distinção do que é certo e do que é errado. E dentro desse compasso, em certo momento mostrei alguns emails que tenho recebido de uma novidade que me causa espanto. Algumas mulheres tem enviado mensagens depois que o site foi ao ar e após observarem aqui no blog as meninas amarradas, os vídeos de preview, ou ainda, o making off, perguntando sobre a possibilidade de produzir um vídeo ou um set de fotos privado amarradas para presentear seu parceiro. Seria uma nova fórmula de atrair alguém para o fetiche sem ter que negociar tal situação? Ou será que a mulher sente-se atraída pelo fetiche e gostaria de guardar uma lembrança com fotos assim?
Não sei ao certo, mas moda é o momento que faz e algumas correspondências chegam com esse intuito. Alguns transexuais também me pedem que realize um trabalho de bondage para ser filmado e fotografado e prometem guardá-los com eles.
Isso tudo é parte de uma grande onda fetichista que há muito tempo ronda os principais lugares do planeta e agora chega com força ao Brasil, e como uma Tsunami está trazendo o fetiche para ensaios fotográficos de moda, lançamento de coleções de lingeries e vestimentas íntimas.
E as meninas têm demonstrado cada vez mais que querem fazer parte desse planeta fetichista mesmo estando restrito a quatro paredes. E isso é muito bom porque desmistifica, passa a ser encarado com normalidade e enterra de vez a velha retórica que insiste em nos chamar de um bando de malucos e pervertidos.
Resumo da ópera: um fetichista vive muito mais feliz.
(Na foto que ilustra a matéria o filme La Dolce Vita de Frederico Fellini do ano de 1960)

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Otra Noche en La Viruta



Primeira Parte

Produzir filme de fetiche é legal quando quem participa mostra certo envolvimento com o que está sendo realizado.
Ontem foi diferente, porque não houve conotação sexual ou de aventura, foi fetiche na veia. E isso vai ao ar em breve pra todo mundo ver e quem sabe consiga reparar na diferença entendendo aquilo que eu quero dizer. Pensem nas marcas que ficam...
Mas o fetiche tem dessas coisas e de onde menos se espera vem algo sensacional, de tirar o fôlego, de babar na gravata.
Outro dia li no blog da Phoenix a respeito de coisas que “elas” não suportam ouvir quando são fetichistas e acabam se envolvendo com alguém de fora. Recomendo dar uma olhada através do link aqui na página. Os homens deveriam fazer uma lista também das coisas que detestam ouvir quando uma mulher chega de mansinho e diz: se você for legal eu deixo você me amarrar... Legal? Deixa? Espera aí, não deveria ser de comum acordo?
Deveria ser, mas nunca é. Melhor seguir tentando e talvez elas mudem o discurso.



Aviso Importante

Falando do site, dos filmes, quero deixar aqui um comunicado à galera que assina o Bound Brazil. Todos sabem que por 24 horas estivemos com problemas devido à troca de provedor e de administrador. O site estava hospedado num plano mixuruca que deu pau no terceiro vídeo por falta de espaço.
Contratou-se então uma hospedagem maior que alcança uns quinhentos vídeos e uma infinidade de fotos, portanto está tudo superado e aos poucos tudo segue seu rumo.
Mas o melhor da festa é que a todos que foram prejudicados por nossos ajustes será oferecido grátis um dia a mais como membro, ou seja, a senha vencerá em 31 dias a partir da data que foi adquirida. É o melhor que podíamos fazer e todos serão avisados por email que será enviado pela administração.
Cumprindo o protocolo, hoje o vídeo anunciado na semana passada está sendo lançado e dois novos sets de fotos com as lindíssimas Anna e Jackie.



Epílogo

De volta à noite passada, o cansaço me venceu pela segunda vez essa semana e cheguei em casa com um único objetivo: do banho pra cama.
Mas quando liguei a TV comecei com a dança frenética dos dedos em busca de um canal que não me fizesse prender à atenção e, por conseqüência, me levasse direto aos braços de Morfeu, o Deus do sono.
Mas no meio do caminho havia uma pedra, havia um filme no Canal Brasil no meio do caminho. Foi lá que resolvi embalar meu cansaço e deixar o controle remoto de lado, ajeitando a cabeça para cair no sono como um bebê.
Virando de lá pra cá me ajeitei e embora tenha achado o filme do meio para o final, notei uma boa fotografia e cenas picantes, com lindas mulheres e coisa e tal.
Mas a última cena me fez acender e recolocar os óculos pra ver direito. Achando melhor nem comentar, publico a foto aqui ao lado de parte da cena porque acho que nesses casos uma imagem vale mais que mil palavras. (Já li isso em algum lugar...)
Hoje me dei conta que se tratava do filme 3 Efes de 2007 do diretor Carlos Gerbase e procurei saber quando repete, afinal tenho que ver na íntegra uma obra que mandou meu sono pro espaço!
Good weekend for everybody!

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Vesti Azul


Às vezes me lembro de certas coisas que chega a causar espanto de onde fui buscar isso.
Estava em casa dando uma olhada na internet, lendo coisas interessantes e uma musica antiga, de muitos anos atrás, me levou aos meus nove anos, sei lá, mais ou menos nessa época, afinal, seria o fim da picada (ô coisa velha!) lembrar de determinados, digamos assim, detalhes.
Mas essa pequena frase de uma música cantada por Wilson Simonal que nos deixou há poucos anos atrás, falava de alguém que passou a vestir a cor azul pra trazer a sorte de volta. Como tenho um arsenal musical em meu HD tratei de colocar essa canção e fazer o tempo voar. Porém, ao prestar atenção à letra notei que a cor azul representava muito mais que ter a sorte outra vez à porta, mas uma mudança de astral e de comportamento, atitude, coisas que passavam longe quando eu escutava em tempo real na minha infância.
Mas a música tem essa grande vantagem de atravessar o tempo e indelével alcança várias gerações, ora escutando de pessoas mais velhas ou através de regravações dos cantores atuais.
Voltando ao assunto da mudança, por mais que se possa acompanhar a evolução da vida se não buscarmos o astral elevado nada de bom nos alcança.
Há bem pouco tempo fiz uma matéria aqui mesmo com queixas de falta de tempo, os inúmeros problemas que passaram a ser parte do meu dia-a-dia depois que o Bound Brazil entrou em atividades. Hoje, encaro de outra forma e parece que passei a vestir azul, não que tudo tenha se transformado num passe de mágica e os problemas tenham mudado de endereço, mas porque passei a encarar as coisas de outro modo, tomei atitudes diferentes e comecei a valorizar tudo que foi construído até o momento, sabendo que nunca se chega a mil sem passar pelo um.
Dessa forma, tudo passa mais depressa e a tranqüilidade é o antídoto para resolver qualquer problema, porque as decisões são tomadas pausadamente e nenhuma ação intempestiva tem lugar.
E assim as coisas foram caminhando de maneira suave e progressiva mesmo que o caroço do angu fique para ser resolvido no dia seguinte. Passou a existir compreensão e a corrida desenfreada pela perfeição deu um tempo seguindo de forma normal.
E o site está caminhando, embora ainda esteja em fase de aperfeiçoamento com alguns ajustes de provedor, sinalização interna mais eficiente e uma melhor resolução de fotos e vídeos. Mas tudo isso aos poucos será realidade e poderemos construir juntos o que sempre se pensou existir.
Por falar em construir juntos, a presença maciça da galera brasileira impressiona, cria uma energia positiva que comanda cada nova sessão de fotos ou vídeos. A participação é intensa e quando coloco alguma novidade dá vontade de correr e falar com cada membro para saber a opinião. A legião estrangeira aos poucos mostra interesse e traz gente de Portugal, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, Itália e outros, e olha que somente me refiro aos assinantes, sem contar as visitas diárias que o Histats informa a cada cinco minutos.
Mas a galera que acreditou e veio logo de cara pertence à tropa de elite, de choque, e sinto cada dia que passa que está aí para o quer e vier torcendo junto para que tudo se encaixe, participando pelo email do site ou aqui no Blog, sempre com um único objetivo que é fazer essa comunidade mais forte.
Por essas e por outras que a canção do Simonal faz mais sentido e incorpora o espírito que quis passar. Bons ventos tragam todos aqueles que um dia como disse aqui mesmo nessas linhas, fariam parte de uma grande família.
(Na Foto: Capa do LP Alegria, Alegria de Wilson Simonal do ano de 1967)

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Noites de Terça no Bound Brazil


Inaugurando as atualizações de toda Terça-Feira, o site Bound Brazil apresenta hoje dois novos sets de fotos.
A gata Sarah Moon muito querida pelos fãs que mandam mensagens ao site, num belo trabalho estilo hogtied, e o primeiro set de duplas com Anita e Teka.
O vídeo de Sexta passada irá ao ar hoje, pela de troca de administrador do site e por ajustes no espaço cedido pelo provedor. Pedimos aos assinantes desculpas pela não publicação do vídeo na data marcada, mas esse procedimento se fazia necessário para uma melhor apresentação do site e de resolução de imagem nos vídeos.
Em breve, cada modelo do site terá seu próprio “Blog Post” e poderá interagir com os assinantes criando seu fã clube. Para enviar mensagens às preferidas, basta clicar nas imagens no link “Garotas” e mandar um elogio, uma crítica ou até perguntas mais quentes. Estamos trabalhando para disponibilizar desse serviço.

Miss Feet Brasil 2008


Essa é para quem é apaixonado por pés, louco, muito louco mesmo e para as meninas que desejam ter seus pés adorados, beijados e idolatrados pelos amantes desse fetiche.
O Clube Dominna apresenta mais uma edição do Miss Feet Brasil no próximo dia 6 de Dezembro em sua quarta edição.
Para participar a musa deve se inscrever pelo email (bela@clubedominna.com) até o dia 04 de Dezembro incluindo uma foto bem legal de seu pé, e pode ver toda a programação da festa no site do Dominna ou no Blog Faces da Bela, com link direto aqui no canto esquerdo desse canal. Todas as demais informações do evento e horário estão disponíveis e é só caprichar nos pezinhos e marcar presença.
Em homenagem a essa iniciativa da Mistress Bela e ao evento, publico abaixo um poema muito bonito que encontrei vasculhando a internet com o devido crédito a autora.

POEMA À PODOLATRIA
Sinto seu olhar perdido, meus Pés à mostra, dedos, pele, solas, dobras clamam pela sua aproximação.
Meu corpo denuncia a febre, trêmulo de um desejo enlouquecido perco a razão ao sentir seu primeiro toque, sensual, morno e molhado.
Teu olhar tem um brilho a mais, ao sentir o toque de meus saltos em tua face, mesmo sob pressão, um leve gemido, quase um sussurro você se submete, implora, lambendo suas formas.
Não esboço reação sequer, diante daquele êxtase, sentindo a pele do seu rosto em minha sola, que desliza, tocando cada vez mais forte descobrindo as sensações de prazer antes não vividas.
Como poderia até então ter-me privado destas deliciosas sensações, tocar e deixar-me ter os pés adorados, misto de sede, fome, com êxtase ao suave deslizar do calor de sua língua perdida entre meus dedos.
O movimento de teus lábios sedentos sobre o dorso desnudo roçando minha pele se apossando das minhas partes como se já conhecesse cada vibração de meu corpo.
Meu prazer é o seu prazer, você me tira o centro e eu desconcerto você. Não há disputa entre nós, naquele momento o tempo pára, o ar pesa, o calor com tesão invade nossos corpos, e seu gozo quente se mistura ao meu orgasmo num prazer só, nem eu nem você, apenas nós.
Por DoceNickaRJ

(Crédito da Foto: www.clubedominna.com)

sábado, 22 de novembro de 2008

Fernanda Making Off

Fernanda fazia sua estréia no Bound Brazil. Como muitos amigos e amigas em seus comentários e emails perguntam a forma como é realizado esse trabalho em studio, resolvi postar um clipe do que rolou no ensaio fotográfico.
A camera de Lucia Sanny captou os detalhes desse trabalho que espero possa matar um pouco da curiosidade de cada um na construção de uma sessão de bondage. O vídeo mostra que é necessário entendimento dos traços a fazer com as cordas através de medidas pré-estabelecidas, mas o fator criatividade ainda é o ponto máximo para quem quer aperfeiçoar essa técnica.
A cena contou com a ajuda e colaboração da bela Scarlet e a edição de vídeo da Rainha Nefer.

video

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

No Bar do Manel


Agente se esforça pra não querer escutar o que rola na mesa ao lado, mas os bares às vezes pecam pelo espaço, as cadeiras se esbarram, telefones celulares tocam quase ao mesmo tempo, enfim, tudo se escuta mesmo quando as vozes tornam-se uma musica fora de ritmo em descontrolados decibéis.
E o bar do Manel não foge à regra. Filho de imigrantes portugueses assim como o escriba aqui, Manel herdou uma pequena espelunca caída ponto habitual de meia dúzia de pinguços, achou um espaço na calçada que transformou em varanda, colocou umas caixinhas de som que só dá pra ouvir enquanto está vazio, arranjou uma dona que prepara bons petiscos e danou a vender cerveja. Os amigos foram chegando e trazendo cada vez mais um para o famoso balcão de porções que se escolhe ali mesmo, basta levantar o plástico que protege dos insaciáveis insetos e fazer o pratinho.
Nesse lugar agradável onde muita gente se sente em casa, semana passada estava eu com alguns amigos e amigas quando na mesa ao lado (sempre na mesa ao lado, mas isso é fato e corriqueiro), um cara pra lá de chapado às nove da noite ouviu da acompanhante que se não parasse de olhar pra uma mulher falante que chamava a atenção alguns metros à frente, iria tomar algumas providencias. O diálogo foi mais ou menos assim: - Tu para quieto aqui nessa mesa e chega de dar voltinhas perto dessa sirigaita, senão pego uma corda e te amarro nessa cadeira.
Pronto, foi a senha necessária pra o entreouvido. O papo da minha mesa passou a ser secundário e eu só queria tentar me virar e olhar ao lado pra ver quem era a bondagista que ora se apresentava. Mas o aperto no Bar do Manel é de praxe e mover o esqueleto na direção contrária fica muito complicado. Explico: As cadeiras se entrelaçam parecendo um jogo chinês daqueles onde as peças se encaixam. Você escuta alguém falar e tem que fazer um movimento de 360 graus para tentar unir o som da voz e os lábios que as precedem, e pior, na mesa além do chapadão ouvia-se uma voz masculina e pelo menos três femininas, sem contar às pessoas que por falta absoluta de lugar ficam o tempo todo de pé, ou seja, fazendo uma conta de chegar temos um cálculo de umas oito a dez pessoas amontoadas ao redor de uma mesa com quatro cadeiras.
Mas sou insistente e procurei em meio a todo o burburinho natural do boteco gravar a voz que falava em fetiche quando o assunto era completamente diferente. Aliás, nesse momento nem me lembrava mais do era debatido e se alguém me pedisse opinião iria balbuciar o famoso “quê”?
Virei de lá pra cá e consegui ver três mulheres na casa dos trinta, sorrindo, bebendo, falando e busquei uma delas que estivesse com os olhos em cima do cara que cambaleava sem destino participando de todas as conversas que ao longe escutava, sim porque bêbado em bar é mais chato de aturar que aquela ampulheta do windows quando um programa de computador fica lento para abrir. Todo cara em começo de porre é pegajoso e inconveniente, sorri pra tudo e pra todos e quando desata a falar quer passar a impressão que conhece todos os assuntos. Arranja espaço, senta, dá tapa nas costas dos outros, beija a mulher alheia, enfim, pior que aturar um bêbado num bar só pegar ônibus errado com o último trocado que sobrou da passagem. Como dizem sabiamente os argentinos, “tenia una tranca...”.
Mas a mulher tinha os olhos grudados em todos os movimentos do espaçoso “bebum” e eu já sabia de quem se tratava. Pensei: será que ela falou isso da boca pra fora ou vai chegar em casa e colocar o ébrio num castigo de cordas de dar inveja a qualquer mestre de bondage? Será que rola um castigo sadomaso além do jogo de cordas?
Fiquei ali por vários minutos esperando que surgisse naquela mesa ao lado outro comentário a respeito do assunto, afinal se ela falou de forma que até eu pude ouvir em meio aquela bagunça sonora, na certa seus amigos também haviam notado tanto quanto eu e haveriam comentários descambando a conversa para o lado fetichista. Seria uma razão e tanto para que eu pedisse licença, buscasse espaço e sem a menor timidez entrasse no assunto que pra mim era mais interessante.
Mas elas continuaram com as conversas mais variáveis possíveis e nem por um momento sequer consegui escutar uma palavra a mais sobre fetiches.
Desiludido, voltei às conversas com meus amigos e nem notei quando eles pediram a conta e foram embora.
Contei essa história toda e quase não falei de fetiche, mas fica desse papo animado sobre o Bar do Manel uma constatação: quando estamos muito ligados a um determinado assunto toda e qualquer conversa a nossa volta padece em detrimento aquilo que nos interessa. Você pode se desligar do fetiche, buscar outros entretenimentos na vida o que é normal compreensível e saudável, mas quando o vento trás algum gesto ou palavra, pode ter certeza que seus olhos e pensamentos estarão voltados para onde surgiu o que mais te agrada.
E o melhor disso tudo é que o Manel está pensando em ampliar o seu bar, finalmente.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Sexta de novidades no Bound Brazil


Duas modelos fazem à estréia no Bound Brazil.
Aisha e Oliska posam pela primeira vez para a lente de Lucia Sanny num trabalho de bondage meticuloso e visualmente muito bonito (modéstia a parte). Claudia e Milla apresentam seus novos sets elaborados com muito cuidado e mostraram um entrosamento incrível com o fetiche.
Um novo vídeo protagonizado por Anna e Brida, tem no roteiro a utilização de bondage dentro de uma relação de ciúmes quando Brida desconfia que sua melhor amiga esteja se insinuando para seu novo namorado.
Mesmo sem certeza absoluta das pretensões da colega de quarto, Brida imobiliza Anna e procura esconde-la quando seu namorado confirma por telefone que passaria para buscá-la e sair. Ótimas tomadas de bondage, vendas e mordaças fazem parte dessa trama de suspense com duração de quinze minutos, na versão em português e inglês.
Mais de duas mil fotos estão disponíveis no Bound Brazil com trinta e oito modelos de belezas distintas e com a marca do Brasil.
Uma nova promoção estará no site a partir dessa sexta para adquirir a condição de membro por seis meses, pagando cinco mensalidades com uma grátis. Tudo isso pelo PagSeguro através de pagamento online ou emissão de boleto bancário.
Para adquirir por cartão de credito segue a opção do CCBill.

Na foto: Aisha no Bound Brazil

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Das Revistas Eróticas ao BDSM Art Drawing

 
A evolução do século passado é inegável e decorridos oito anos do novo milênio isso fica cada vez mais claro e sólido. Um grande amigo e filósofo acredita que a Guerra Fria foi o grande fator de desenvolvimento acelerado que nos proporcionou acesso ao que hoje é corriqueiro. Quem imaginaria esse mundo globalizado e informatizado há trinta anos atrás?
Pensando nesse desenvolvimento, trago ao mundo fetichista uma pratica que jamais desapareceu e evolui diariamente. Quem está na casa dos cinqüenta deve lembrar dos proibidos quadrinhos eróticos, popularmente conhecidos no Brasil como Revistas de Sacanagem. Nesses livros recheados de erotismo em desenhos impressos em papel jornal, cartunistas como Carlos Zéfiro publicaram pequenos contos obscenos para uma sociedade extremamente moralista e eram vendidos em algumas bancas literalmente no cambio negro. Dentro do erótico várias historinhas de fetiche causavam frisson em quem trazia escondido um desejo impublicável, sendo muitas de origem Sueca ou Dinamarquesa. Vasculhando a memória lembrei de um conto chamado “O Rapto” de Zéfiro que me levou ao delírio nas paredes geladas do banheiro.
Durante anos esse tipo de publicação era o que aparecia por aqui e tinham que ser guardadas de forma tão escondida que possibilitou a sua própria conservação. (Sei de pessoas que as guardam como tesouros)
Com o tempo, quadrinhos coloridos deram o ar de sua graça e aposentaram esses livretos de bolso, trazendo gente como Franco Saudelli e seu bondage misturado com podolatria e mestres desenhistas do mundo oriental e suas revistas com conotação sado-futuristas.
A internet já era uma realidade quando o Art Drawing conquistou definitivamente seu espaço e passou a fazer parte do mundo BDSM. Os programas desenvolvidos criaram desenhos em terceira dimensão que mostraram uma imagem quase fotográfica de cenas fetichistas de fazer inveja a quem faz ao vivo.
 
Porém, o estilo branco e preto do desenho à mão livre jamais perdeu sua importância e até hoje é apreciado por muita gente em sites especializados. Foi-se o papel jornal e o formato de bolso, mas ficou a arte para que as futuras gerações tivessem acesso a essa obra que a tecnologia e o tempo não conseguem apagar.
A criatividade nunca sai de moda e o traço humano sempre será preservado pelas mãos dos artistas. Mudaram os cenários, a vestimenta, as histórias são mais ousadas e sem preconceitos, mas a idéia ingênua da história em quadrinhos ainda preserva todo o glamour de cinco décadas atrás.
Os carrões conversíveis e rabo de peixe desenhados por Zéfiro, hoje dão lugar a masmorras, palácios, quartos de hospital, salas de visitas e um cem número de lugares que a imaginação do artista pode transportar.
Homens com pênis gigantes, mulheres com formas perfeitas, para o criador da obra nada é impossível e permite a quem cria e quem aprecia uma viagem fantástica que vem de longe e ninguém sabe até onde poderá seguir.

Para quem desejar uma pesquisa sobre essa matéria uma dica: http://www.savagecomics.com/